A espiritualidade do catequista na vivência da pedagogia do encontro

por Tráfego
do encontro

O processo catequético acontece graças a um dos fatores decisivos da catequese que é a pessoa do catequista: aquele que possui o verdadeiro dom do chamado e tudo faz movido pelo amor que sente e sua dimensão humana que toca a existência do outro. Todavia, enfrentamos uma realidade complexa e desafiadora em que nossos catequistas vivenciam pela falta de interesse e desmotivação dos interlocutores da fé. Justamente neste momento que o catequista é chamado a fazer a experiência do encontro com Aquele cujo dom nunca se esgota e sempre tem algo novo a dar.

Através dos Diretórios de catequese, somos chamados a compreender a dimensão espiritual do catequista, pois é justamente dela que brota o aspecto vocacional. Diante da pergunta: Quem é o catequista? O Papa Francisco responde que “é uma vocação” completando que “Ser catequista: esta é a vocação; não trabalhar como catequista”.[1] Por isso, o catequista é justamente aquele que compromete sua vida com a vida de Cristo, faz continuamente a experiência do encontro com Ele e testemunha essa experiência viva e impactante. Não se trata de uma experiência vazia e superficial, mas àquela que preenche e toca todo ser da pessoa, capaz de motivá-la e encorajá-la para viver sua vocação e sua vida cristã.

Diante desse chamado, a espiritualidade da pedagogia do encontro a qual podemos tomar como modelo Jesus e a Samaritana (Cf. Jo 4, 7-42) é capaz de reavivar o dom gratuito e verdadeiro o qual o catequista recebeu em sua vocação. Assim, diante da complexidade e do atual desafio para uma catequese evangelizadora, que toca, contagia, encanta e envolve o interlocutor no mistério salvífico, o catequista que faz a experiência do poço como lugar de encontro, permanece com sua fonte viva cujo dom é a água viva.

Catequeses 2023

 

Aquela mulher, inicialmente não sabe quem é aquele homem que se apresenta diante dela e se coloca num encontro o qual irá transcorrer uma descoberta para sua vida. Dar de beber era sinal de acolhimento, catequista que sente acolhido e amado por Jesus deseja fazer o mesmo por aqueles aos quais Jesus deseja que se coloque em seu caminho. Por isso, o Papa Francisco nos convida ao desafio para “deixar de lado toda a diferença e, em presença do sofrimento, fazer-nos vizinhos a quem quer que seja. Assim, já não digo que tenho «próximos» a quem devo ajudar, mas que me sinto chamado a tornar-me eu um próximo dos outros”.[2]

Nesse encontro da Samaritana com Jesus é possível perceber o quanto Ele se dispõe a revelar-se tocando a existência dela. A partir desse encontro o diálogo acontece e progressivamente ela é movida a entender quem Ele era e, principalmente mergulhar no mistério d’Aquele que se revela. O dom de Deus, gratuito, é oferecido a todo aquele que faz a experiência desse encontro quebrando as barreiras das distâncias para se fazer próximo. Por isso, o catequista deve permanecer sempre mergulhado nessa água viva que é o dom de Deus para sua vocação, e assim, viver da graça da alegria e do entusiasmo que enche o coração do catequista e o capacita para ir ao encontro do seu catequizando.

À medida que Jesus dialogava com a samaritana, ela tinha sua sede saciada. O poço é o lugar de encontro onde se faz a experiência pessoal com Ele. O catequista é convidado a diariamente ir a esse lugar no qual terá a oportunidade de reabastecer desse dom gratuito, para aquele que crê, e superar o desafio catequético atual que coloca em risco a própria vocação do catequista.

Leia também:
A importância de obedecer aos Ritos: milhares de batismos anulados
Com o coração de Pedro e os pés de Paulo

Jesus se deixa encontrar por todo aquele que o procura, se faz presente num lugar e num momento em nossa história. Ele deseja que esse poço possa se tornar nossa própria vida, como catequista, para que possamos servir de lugar para que a experiência da pedagogia do encontro aconteça na vida dos catequizandos. Em Jo 4, 26 ele se revela “Sou eu”, Aquele que fala e toca o coração do catequista para essa descoberta de sua vocação, é também, Aquele que sacia a sede da água da vida que é o dom de Deus.

O dom de Deus, que é a água da vida, preenche o ser do catequista através de sua experiência do encontro para que ele não se torne jamais uma “estátua de museu”[3], paralisado ou inativo, mas alguém sempre movido por essa experiência alegre e motivadora que contagia, toca e faz sair de si para lançar-se no outro. A espiritualidade do catequista jamais pode estar distante desse poço, pois quando se distancia da fonte da água da vida, se perde em sua humanidade comprometendo sua vocação e, por consequência, o processo catequético.

 

Alan Nogueira de Souza, natural de Campos dos Goytacazes – RJ. Licenciado em Filosofia, Bacharel em Teologia, especialização em Neuropsicopedagogia e Neurociência: cognição e comportamento. Professor da Escola de Teologia para leigos, Escola diaconal diocesana, Casa de formação religiosa e Colégio Eucarístico. Atuando, sobretudo, na teologia pastoral.

[1] FRANCISCO, Discurso do Papa Francisco aos catequistas vindos a Roma em peregrinação por ocasião do Ano da fé e do Congresso Internacional de Catequese.

[2] FRANCISCO, Carta Encíclica Fratelli Tutti (2020) n. 81.

[3] FRANCISCO, Discurso do Papa Francisco aos catequistas vindos a Roma em peregrinação por ocasião do Ano da fé e do Congresso Internacional de Catequese.

Você também pode gostar

2 comentários

Por uma catequese bíblica e de retorno às fontes da fé - Catequistas Brasil 18 de julho de 2022 - 10:15

[…] também: A espiritualidade do catequista na vivência da pedagogia do encontro A comunhão espiritual e o desejo de unidade da […]

Resposta
Confira a programação do Mês do Catequista - Catequistas Brasil 28 de julho de 2022 - 17:29

[…] Leia mais: Por uma catequese bíblica e de retorno às fontes da fé A espiritualidade do catequista na vivência da pedagogia do encontro […]

Resposta

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Supomos que você esteja ok com isso, mas você pode optar por não usar os cookies, se desejar. Aceito

0
    0
    Seu Carrinho
    Seu Carrinho está VazioVoltar para a Loja
    Precisa de Ajuda?

    omg