Home CatequesesFamiliar Saiba como fornecer atendimento aos pais dos catequizandos

Saiba como fornecer atendimento aos pais dos catequizandos

por Redação
Compartilhe:

Saiba como organizar um núcleo de atendimento aos pais dos catequizandos

A catequese para melhor acolher os ensinamentos deixados por Jesus, pode organizar no interior da paróquia, o núcleo de atendimento aos pais dos catequizandos. O que é esse núcleo de atendimento aos pais dos catequizandos? É o setor inserido na catequese, ou seja, dentro da paróquia que articula e flexibiliza ações evangelizadoras, para a prática da vida comunitária e também pastoral de cada catequizando.

 

Diretório Catequese

 

Tem como objetivo principal criar na paróquia, a “evangelização para a convivência”, ou seja, os catequizandos são orientados pelos catequistas a aceitação da diversidade e, principalmente, buscar a quebra das barreiras arquitetônicas, evangelizadoras, no que se refere desde a discriminação feita na secretaria da paróquia quando a família do catequizando, ao dizer que aquele filho é deficiente, a secretária diz que não há inscrição disponível para ele. E também a entender que aquele catequizando com algum tipo de deficiência, traz inserido no semblante, o rosto excluído de Jesus em nossa sociedade globalizada. Dessa forma, é Jesus que está inserido na sala de encontro na catequese através daquele catequizando com deficiência Cf (Mt 25,40).

Leia mais: 
Estão abertas as inscrições para o Catequistas Brasil 2020

Quem são os catequizandos atendidos por este núcleo?

São todos aqueles que se inserem na catequese inclusiva. São eles: superdotados, esquizofrenia, deficientes físicos, auditivos, visuais, com síndrome de Down, autista, etc. O que é a Catequese e a Catequese Inclusiva? Catequese em sua origem, o termo “catequese” diz respeito à proclamação da Palavra. Contudo, o termo se liga a um verbo que significa “Fazer” – “Ecoar” (gr. Kat-ekhéo). E catequese inclusiva é uma modalidade dentro da catequese renovada onde visa o desenvolvimento das potencialidades de pessoas com deficiência.

Primeiramente, na catequese inclusiva o processo evangelizador deve ser entendido como um processo social. Todas as crianças, tanto deficientes quanto com distúrbios de aprendizagem têm o direito à evangelização o mais próximo possível do comum. Sendo assim, o alvo a ser alcançado é a integração da criança, do jovem ou do adulto com deficiência na comunidade. O compromisso deste núcleo com a catequese está em orientar os pais dos catequizandos sobre como será ministrado aquele assunto para os catequizandos. Cada deficiência necessita de uma adaptação didática diferenciada. Desta maneira, o pároco, os catequistas, famílias e demais catequizandos, estarão unidos pela evangelização inclusiva do catequizando com deficiência.

As ações do núcleo de atendimento serão as seguintes:

  1. Reúna a famílias dos catequizandos, para ouvir destas famílias sobre as dificuldades enfrentadas em casa para que o filho frequente assiduamente os encontros de catequese;
  2. Oriente as famílias sobre os assuntos ministrados nos encontros de catequese;
  3. Convide as famílias para frequentar as pastorais existentes nas paróquias.

Os projetos e planos de ação deste núcleo estão relacionados aos temas abordados em cada encontro e na adaptação destes feitos pelo catequista. Portanto, o objetivo principal deste plano de ação está na recepção do sacramento da Eucaristia, pelos catequizandos com deficiência.

Os assuntos específicos que serão abordados nos encontros, serão os seguintes:
  • Querigma: encontrar com Jesus Cristo;
  • Paralelo entre os acontecimentos do Primeiro Testamento com os seus símbolos;
  • Páscoa de Cristo (Tempo da Quaresma);
  • Eucaristia, compreender o sacramento da Eucaristia, como participação da vida do cristão, a transformação da criança no sacramento que recebeu;
  • Advento (Nascimento de Jesus).

Leia mais:
Catequistas Brasil levará você para conhecer os passos de Jesus na Terra Santa e Itália

A base de todo este trabalho realizado na paróquia está na bíblia, pois é por meio do testemunho de fé do catequista instruído pelos ensinamentos deixados por Jesus, que acontecerá a implantação do núcleo de atendimento aos pais dos catequizandos, sejam eles, com ou sem deficiência.

 

Peregrinação Paulo Gil Home

 

Thaís Rufatto dos Santos é Pedagoga e Psicopedagoga. Pós Graduada em Educação Especial e Consultora em Educação Inclusiva. Coordenou a Pastoral da Pessoa com Deficiência, na Diocese de Santo Amaro – SP. Autora das obras: “Manual prático para catequistas – como evangelizar as pessoas com deficiência – É possível levá-las ao Pai!”, Editora Pão e Vinho e “Catequese inclusiva – da acolhida na fé à vivência na Comunidade”, Paulinas. Contato: thaisrdossantos@gmail.com
Fonte: Revista Paróquias

Você também pode gostar

Deixe um comentário