A família na catequese é parte essencial da iniciação cristã dos catequizandos

 em Catequese, Catequistas Brasil
Compartilhe:

A família na catequese deve fazer parte do aprofundamento da iniciação cristã dos catequizandos

Sabemos que em todo processo formativo de uma criança, um adolescente ou até mesmo um jovem é muito importante a presença da família na catequese. Sobretudo, se refere ao papel educativo dos pais. Obviamente na constituição da personalidade, no âmbito cultural, religioso, nos modos comportamentais e na educação de modo geral os pais têm grande influência na vida dos filhos.

 

Catequistas Brasil 2020 – mobile

 

Desta maneira, faz-se evidente que pai e mãe são referenciais importantes na vida de seus filhos. Podemos até dizer, sem determinismos, que os pais de hoje são reflexo dos filhos de amanhã. “Em um momento histórico em que a família é alvo de numerosas forças que a procuram destruir ou de qualquer modo deformar, a Igreja, sabedora de que o bem da sociedade e de si mesma está profundamente ligado ao bem da família, sente de modo mais vivo e veemente a sua missão de proclamar a todos o desígnio de Deus sobre o matrimônio e sobre a família, para lhes assegurar a plena vitalidade e promoção humana e cristã, contribuindo assim para a renovação da sociedade e do próprio Povo de Deus” .

Leia mais:
Estão abertas as inscrições para o Catequistas Brasil 2020

A importância da família

Diante deste contexto e sabendo da importância da família para a sociedade e na educação inicial de uma criança, podemos nos perguntar sobre a iniciação cristã dos filhos com base no comprometimento e testemunho dos pais. Os referenciais iniciais para a formação no âmbito do cultivo dos valores da vida cristã são fundamentais, pois “a família é como que uma escola de valorização humana.

Para que esteja em condições de alcançar a plenitude da sua vida e missão, exige, porém, a benévola comunhão de almas e o comum acordo dos esposos, e a diligente cooperação dos pais na educação dos filhos. A presença ativa dos pais contribui poderosamente para a formação destes. Sendo assim, os filhos sejam educados de tal modo que, chegados à idade adulta, sejam capazes de seguir com inteira responsabilidade a sua vocação, incluindo a sagrada, e escolher um estado de vida; e, se casarem, possam constituir uma família própria, em condições morais, sociais e econômicas favoráveis” .

Testemunho e Incentivo

No âmbito familiar, os alicerces da fé são constituídos com base no amor dos pais e na vivência do amor a Deus. As primeiras orações aprendidas na infância e o modo pelo qual os pais falam de Deus para seus filhos marcam o inicio da vida cristã da criança sendo como que a primeira catequese. Contudo, eis o desafio: fazer com que os pais acompanhem afetiva e efetivamente a formação de seus filhos no processo da iniciação cristã nas catequeses. Seja pelo testemunho, pelo incentivo e até mesmo pela presença nos encontros de fim de semana ou semanais. Não obstante os desafios de disponibilidade de tempo, os pais devem se esforçar para acompanhar seus filhos na catequese para além do compromisso de levar e buscar na Igreja após os encontros.

O processo de formação da catequese inicial está cada vez mais aprimorado e dinâmico. Novos materiais, estrutura de encontros dinamizados, inserção dos meios de comunicação. Bem como o aproveitamento das novas tecnologias e ainda uma formação aprofundada para novos catequistas. Tudo isso, para promover o kerigma, ou seja, o conhecimento da pessoa de Jesus.

Envolva os pais

Há um esforço contínuo por parte das paróquias e comunidades na busca do envolvimento dos pais para promover uma catequese em família, até mesmo para uma reciclagem dos pais em termos catequéticos. De certa maneira, toda família deve ser envolvida na evangelização para que juntos amadureçam a fé e experimentem a presença de Jesus, sobretudo, na Eucaristia.

Os responsáveis pela catequese, desde os padres até os agentes pastorais e catequistas, devem favorecer a participação dos pais no ambiente dos encontros da catequese. Existem paróquias que já experimentam esta realidade de catequese em família. O pai, mãe ou até mesmo o responsável direto pela criança participa dos encontros juntamente com a criança e os frutos desta iniciativa já estão sendo colhidos. Vale ressaltar que esta estrutura de participação direta dos pais nem sempre será possível, devido aos horários em que são realizados os encontros e pela disponibilidade de tempo dos pais. No entanto, deve haver sempre um esforço para promover encontros mensais juntamente com os pais e o estímulo para que estejam sempre presentes nas celebrações com os filhos.

Leia mais:
O catequista e a resiliência: tenha dinamismo no processo de educação da fé

Catequista e a formação

O núcleo de catequese de iniciação cristã de cada diocese, paróquia e comunidade deve sempre primar pelo crescimento e amadurecimento da fé de cada criança. Assim, forma cristãos com convicção e compromisso eclesial. O encontro pessoal com Jesus e com o evangelho vai se aprofundar, intensificar, amplificar e expandir à medida que a família estiver também em comunhão e comprometida neste processo. Portanto, é preciso sempre articular em seu cronograma catequético momentos que favoreçam a presença dos pais desde o primeiro momento de elaboração do calendário anual, para que favoreça sempre mais a presença dos mesmos.

O catequista tem o compromisso de pedagogo. Isto é, de conduzir, ensinar, de aprender e crescer junto com seu catequizando. Com a presença dos pais se torna ainda mais enriquecedor. Todos são chamados a uma mesma experiência de comunhão com o Pai, e o Filho e o Espírito Santo.

Evidentemente, a catequese de primeira comunhão das crianças já amadureceu muito em sua caminhada. Com a ajuda participativa dos pais essa realidade tem se tornado ainda melhor. Como atitude concreta de planejamento participativo dos pais, segue um esquema para a articulação da catequese de primeira comunhão em família tendo como pressuposto a organização de encontros práticos alinhados com o conteúdo catequético envolvendo a presença dos pais juntamente com seus filhos:

Articulação da catequese de primeira comunhão em família
  1. Promover, para cada turma nova de catequese que se inicia, um encontro inicial com os pais para socializar o cronograma de atividades. Diante de sua realidade paroquial ou de comunidade, inseri-los nos encontros.
  2. Promover encontros de espiritualidade (orações, celebrações, passeios…) com os pais e filhos a cada bimestre ou trimestre para suscitar sempre mais o testemunho da vivência da fé em família.
  3. Realizar uma reunião com os pais a cada semestre para ter um retorno dos mesmos em relação à participação de seu filho bem como o seu amadurecimento de fé; possibilitando ainda a partilha sobre a metodologia aplicada e os materiais utilizados nos encontros.
  4. Articular no cronograma eventos que envolvam os pais concretamente em atividades. Por exemplo: gincana catequética em família, festa junina da catequese, gincana bíblica, retiros etc. Seja na parte prática estrutural ou mesmo na parte de reciclagem catequética dos pais.
  5. Por fim, diante da realidade da diocese, paróquia ou comunidade, estar em sintonia com o que propõe a Igreja hoje para a catequese; tendo presente a grande quantidade de materiais formativos existentes para aplicação dos encontros da catequese de primeira comunhão em família.

Sabemos da importância deste caminho de iniciação cristã na vida das crianças e adolescentes. A Igreja tem se esforçado para que a mensagem do evangelho alcance as famílias através da catequese de primeira comunhão. O olhar para a realidade das famílias do nosso tempo deve sempre nos inquietar a querer aprimorar sempre mais. Com intuito de alargar os horizontes da evangelização e promover uma fé na vida das famílias.

Leia mais:
Catequistas Brasil levará você para conhecer os passos de Jesus na Terra Santa e Itália

 

Peregrinação Paulo Gil Mobile

 

Pe. José Ronaldo de Castro Gouvêa, SCJ é vigário no Santuário São Judas Tadeu em São Paulo/ SP. Assessor de Comunicação da Região Episcopal Ipiranga da Arquidiocese de São Paulo.
Contato: zedehon@yahoo.com.br
Fonte: Revista Paróquias
Compartilhe:
Postagens Recentes

Deixe um Comentário

Contato

Nenhum operador está disponível no momento, deixe sua mensagem e entraremos em contato.

Não pode ser lido? Mude o texto. captcha txt
Construa um plano de ação catequético para realizar novas dinâmicas com o catequizandoA catequese testemunhal é o caminho para novos discípulos