Home Ser CatequistaEspiritualidade Em meio a tanta dor e sofrimento, abril é o mês da Divina Misericórdia

Em meio a tanta dor e sofrimento, abril é o mês da Divina Misericórdia

por Redação
Compartilhe:

Solenidade da Divina Misericórdia deste ano será celebrada em meio à pandemia de coronavírus

Todos os anos, uma semana após o Domingo de Páscoa, a Igreja Católica celebra a solenidade da Divina Misericórdia de Deus. Neste ano, em abril, a data é celebrada em meio a uma das maiores pandemias de gripe que a humanidade já presenciou. O coronavírus já contaminou mais de 800 mil pessoas ao redor do mundo e um dos pedidos do Papa Francisco foi que os fiéis não deixem de rezar pedindo a misericórdia de Nosso Senhor.

 

Diretório Catequese

 

Dessa forma, a solenidade se torna ainda mais importante em meio a dor e o sofrimento que o mundo se encontra. A celebração foi instaurada pelo Papa São João Paulo II e anunciada na canonização da polonesa Irmã Faustina Kowalska no ano de 2000:

“Em todo o mundo, o segundo domingo de Páscoa receberá o nome de domingo da Divina Misericórdia. Um convite perene para o mundo cristão enfrentar, com confiança na benevolência divina, as dificuldades e as provas que esperam o gênero humano nos anos que virão” – declarou São João Paulo II durante a ocasião.

Leia mais:
Quarentena: confira dicas de filmes católicos disponíveis no YouTube

Santa Faustina e a Divina Misericórdia

Em meio a tanta dor e sofrimento, abril é o mês da Divina Misericórdia

Santa Faustina Kowalska em uma das revelações de Jesus| Imagem: Reprodução

Santa Faustina Kowalska é considerada a guardiã da Divina Misericórdia. Nascida na Polônia em 1905, a freira foi agraciada por receber revelações e aparições de Jesus. Aos 18 anos decidiu ser religiosa, mas jamais teve a permissão dos pais, assim Faustina viveu mundanamente até receber pela primeira vez uma visão do filho de Deus, que lhe perguntara até quando ela seria infiel a ele.

Desse modo, a jovem ingressou no convento das Irmãs de Nossa Senhora da Misericórdia em 1925. Faustina sempre possuiu profunda admiração pelo milagre eucarístico e obedecia fielmente às suas irmãs superiores. No seu novo lar, as experiencias místicas em que via e conversava com Jesus continuaram com frequência. Em cada uma delas Cristo revelou o grande mistério da Misericórdia Divina.

Seu padre confessor Sopocko, ao saber das aparições à Santa Faustina, pediu que ela as relatasse sempre em um diário. As escrituras da santa podem ser lidas até hoje e ensinam a grandiosidade do coração misericordioso de Jesus, seus segredos revelados e a importância da oração. Foi através de Faustina que também se teve conhecimento da ladainha da divina misericórdia e o terço rezado sempre às 3 horas da tarde, como forma de piedade.

Covid-19 e a festa da Divina Misericórdia 2020

Atendendo às medidas de contenção da proliferação do coronavírus, em 2020 a festa da divina misericórdia não poderá ser celebrada com aglomerações. Um dos santuários do Pai das Misericórdias que é localizado em Cachoeira Paulista, reúne sempre mais de 15 mil pessoas na solenidade. Por esse motivo a celebração só poderá ser acompanhada pelos fiéis através dos meios de comunicação.

Durante a benção extraordinária Urbi et Orbi, o Papa Francisco recordou que Deus não desampara seus filhos e que ele tem cuidado da humanidade. Nesta semana, ao recordar os 15 anos do falecimento de São João Paulo II, o pontífice pediu que os católicos rezem pela intercessão do Santo e se voltem para a Misericórdia de Deus.

Como rezar o terço da misericórdia

Pessoas rezando o terço |Imagem: reprodução

Pai-Nosso

Pai Nosso, que estais no Céu, santificado seja o Vosso Nome; venha a nós o Vosso Reino; seja feita a Vossa Vontade, assim na terra como no Céu; o pão nosso de cada dia nos dai hoje; perdoai-nos as nossas ofensas assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido, e não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal. Amém.

Ave-Maria

Ave, Maria, cheia de graça, o Senhor é convosco; bendita sois vós entre as mulheres e bendito é o fruto do vosso ventre, Jesus. Santa Maria, Mãe de Deus, rogai por nós os pecadores, agora e na hora de nossa morte. Amém.

Creio

Creio em Deus-Pai Todo Poderoso, criador do céu e da terra; e em Jesus Cristo, seu único Filho, Nosso Senhor, que foi concebido pelo poder do Espírito Santo; nasceu da Virgem Maria; Padeceu sob Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto e sepultado; desceu à mansão dos mortos, ressuscitou ao terceiro dia, subiu aos céus; está sentado à direita de Deus Pai Todo Poderoso, de onde há de vir a julgar os vivos e os mortos; creio no Espírito Santo,na Santa Igreja Católica, na comunhão dos santos, na remissão dos pecados, na ressurreição da carne, na vida eterna. Amém.

Nas contas grandes

Eterno Pai, eu Vos ofereço o Corpo e o Sangue, a Alma e a Divindade do Vosso Diletíssimo Filho, Nosso Senhor Jesus Cristo, em expiação dos nossos pecados e dos do mundo inteiro.

Nas contas pequenas

Pela Sua dolorosa Paixão, tende misericórdia de nós e do mundo inteiro.

No fim do Terço diz-se três vezes

Deus Santo, Deus Forte, Deus Imortal, tende piedade de nós e do mundo inteiro.

Ladainha da Misericórdia

Que a alma que desconfia leia estes louvores da misericórdia e torne-se confiante.

Misericórdia Divina, que brota do seio do Pai, eu confio em Vós.

Misericórdia Divina, atributo máximo de Deus, eu confio em Vós.

Misericórdia Divina, mistério inefável, eu confio em Vós.

Misericórdia Divina, fonte que brota do mistério da Santíssima Trindade, eu confio em Vós.

Misericórdia Divina, que nenhuma mente, nem humana nem angélica pode perscrutar, eu confio em Vós.

Misericórdia Divina, da qual provém toda a vida e felicidade, eu confio em Vós.

Misericórdia Divina, mais sublime do que os Céus, eu confio em Vós.

Misericórdia Divina, fonte de milagres e prodígios, eu confio em Vós.

Misericórdia Divina, que envolve o universo todo, eu confio em Vós.

Misericórdia Divina, que desce ao mundo na Pessoa do Verbo Encarnado, eu confio em Vós.

Misericórdia Divina, que brotou da chaga aberta do Coração de Jesus, eu confio em Vós.

Misericórdia Divina, encerrada no Coração de Jesus para nós e sobretudo para os pecadores, eu confio em Vós.

Misericórdia Divina, imperscrutável na instituição da Eucaristia, eu confio em Vós.

Misericórdia Divina, na instituição da Santa Igreja, eu confio em Vós.

Misericórdia Divina, no sacramento do Santo Batismo, eu confio em Vós.

Misericórdia Divina, na nossa justificação por Jesus Cristo, eu confio em Vós.

Misericórdia Divina, que nos acompanha por toda a vida, eu confio em Vós.

Misericórdia Divina, que nos envolve de modo particular na hora da morte, eu confio em Vós.

Misericórdia Divina, que nos concede a vida imortal, eu confio em Vós.

Misericórdia Divina, que nos acompanha em todos os momentos da vida, eu confio em Vós.

Misericórdia Divina, que nos defende do fogo do Inferno, eu confio em Vós.

Misericórdia Divina, na conversão dos pecadores endurecidos, eu confio em Vós.

Misericórdia Divina, enlevo para os anjos, inefável para os Santos, eu confio em Vós.

Misericórdia Divina, insondável em todos os mistérios divinos, eu confio em Vós.

Misericórdia Divina, que nos eleva de toda miséria, eu confio em Vós.

Misericórdia Divina, fonte de nossa felicidade e alegria, eu confio em Vós.

Misericórdia Divina, que do nada nos chama para a existência, eu confio em Vós.

Misericórdia Divina, que abrange todas as obras das Suas mãos, eu confio em Vós.

Misericórdia Divina, que coroa tudo que existe e que existirá, eu confio em Vós.

Misericórdia Divina, na qual todos somos imersos, eu confio em Vós.

Misericórdia Divina, doce consolo para os corações atormentados, eu confio em Vós.

Misericórdia Divina, única esperança dos desesperados, eu confio em Vós.

Misericórdia Divina, repouso dos corações, paz em meio ao terror, eu confio em Vós.

Misericórdia Divina, delícia e êxtase dos Santos, eu confio em Vós.

Misericórdia Divina, que desperta a confiança onde não há esperança, eu confio em Vós.

Ó Deus eterno, em quem a misericórdia é insondável e o tesouro da compaixão é inesgotável, olhai propício para nós e multiplicai em nós a Vossa misericórdia, para que não desesperemos nos momentos difíceis, nem esmoreçamos, mas nos submetamos com grande confiança à Vossa santa vontade, que é Amor e a própria Misericórdia” (Diário, 949).

Por Redação Catequistas Brasil

 

Peregrinação Paulo Gil Home

Você também pode gostar

1 comentário

Maria Moraes 20 de abril de 2020 - 14:17

Lindo maravilhoso o terço da misericórdia

Resposta

Deixe um comentário