Home Liturgia #minisermão: Terça-feira depois da Epifania

#minisermão: Terça-feira depois da Epifania

por Redação
#minisermão: Terça-feira depois da Epifania
Compartilhe:

Confira o #minisermão desta terça-feira

Evangelho (Mc 6,34-44)

Naquele tempo, 34Jesus viu uma numerosa multidão e teve compaixão, porque eram como ovelhas sem pastor. Começou, pois, a ensinar-lhes muitas coisas. 35Quando estava ficando tarde, os discípulos chegaram perto de Jesus e disseram: “Este lugar é deserto e já é tarde. 36Despede o povo para que possa ir aos campos e povoados vizinhos comprar alguma coisa para comer”. 37Mas Jesus respondeu: “Dai-lhes vós mesmos de comer”. Os discípulos perguntaram: “Queres que gastemos duzentos denários para comprar pão e dar-lhes de comer?” 38Jesus perguntou: “Quantos pães tendes? Ide ver”. Eles foram e responderam: “Cinco pães e dois peixes”. 39Então Jesus mandou que todos se sentassem na grama verde, formando grupos. 40E todos se sentaram, formando grupos de cem e de cinquenta pessoas. 41Depois Jesus pegou os cinco pães e dois peixes, ergueu os olhos para o céu, pronunciou a bênção, partiu os pães e ia dando aos discípulos, para que os distribuíssem. Dividiu entre todos também os dois peixes. 42Todos comeram, ficaram satisfeitos, 43e recolheram doze cestos cheios de pedaços de pão e também dos peixes. 44O número dos que comeram os pães era de cinco mil homens.
— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

#minisermão

A compaixão é o motor do coração; é sentir das dores do outro e arrumar um jeito de ajudar. Jesus olhou para aquela multidão e viu que eram como ovelhas sem pastor, famintos! Alguns discípulos disseram que bastaria despedi-los para que voltassem pra suas casas, e buscassem o necessário alimento. Mas Jesus disse: “Não! Vamos arrumar comida para este povo”. E aconteceu o milagre da multiplicação dos pães. Por meio de uma partilha, que não seria suficiente para todos, o pão da generosidade alimentou mais de cinco mil pessoas! Milagres começam com um gesto de compaixão (Mc 6,34-44).

Pe. Joãozinho, scj

Ouça!

Você também pode gostar

Deixe um comentário