Home Catequeses Super dicas para vivenciar o mês da Bíblia na catequese infantil

Super dicas para vivenciar o mês da Bíblia na catequese infantil

por Redação
Super dicas para vivenciar o mês da Bíblia na catequese infantil
Compartilhe:

Confira 5 dicas que irão te auxiliar a trabalhar o mês da Bíblia na catequese infantil

Em todos os anos, no mês de setembro, celebramos com a Igreja Católica o mês da Bíblia. A leitura diária da Palavra de Deus, através de um estudo bíblico na catequese, nos faz colher muitos frutos de vida. Dessa forma, é muito importante trabalhar com muita dedicação o mês da Bíblia na catequese infantil.

Diretório Catequese

 

Quando a Bíblia é interiorizada, meditada e sobretudo rezada é possível não viver mais um caminho obscuro, mas cheio da Luz e da graça do próprio Deus. Sendo assim, como fazer para que as crianças tenham essa experiência com a Palavra, mesmo tão cedo? Como ajudar para que eles desejem vivê-la e se sintam atraídos por ela?

Contudo, tal missão não é fácil, seja para os pais ou para o catequista, que traz essa missão intrínseca na sua vida apostólica: anunciar Jesus e ensinar sobre Sua vida. No mundo do imediatismo, da tecnologia e dos excessos – que tornam as crianças de hoje em dia, geralmente, um pouco mais hiperativas – prender a atenção de uma criança não é tarefa fácil. Cabe ao Catequista duas atitudes primordiais: o conhecimento da Palavra de Deus, e sobretudo muita criatividade.

Partindo deste princípio, separamos 5 dicas para trabalhar o mês da Bíblia na catequese infantil:

Os Evangelistas!

Faça uma divisão do que você deseja abordar em especial neste mês, dividindo os temas por semanas. Uma boa dica é começar pelos Evangelhos, já que eles são o centro das Sagradas Escrituras pois se referem a vida de Jesus, Filho de Deus.

Ex: Escolha um Evangelista por semana. Pesquise sobre quem eles eram, quem se tornaram a partir do conhecimento de Cristo e defina um evangelho para o debate com as crianças, lembrando que o mesmo necessita ser interativo e capaz de envolvê-los. Após abordagem e explanação, de forma lúdica, aplique uma atividade que cause, não somente o prazer, mas sobretudo a fixação da história escolhida e trabalhada. Montar um cartaz coletivo com as principais características do evangelista escolhido é uma ótima ideia.

Super dicas para vivenciar o mês da Bíblia na catequese infantil

Leia mais:
Por que setembro é o mês da Bíblia?

Dinâmica sobre os Evangelistas:

Prepare tirinhas de papel na quantidade de participantes do grupo. O papel deve ser suficiente para cada pessoa escrever aproximadamente 5 linhas. Numere os papéis e entregue aos participantes.

Explique ao grupo que, juntos, vamos escrever uma carta sobre a nossa comunidade, destacando as principais atividades, pessoas que desenvolvem trabalhos importantes, as maiores dificuldades, etc. A carta será escrita em pedaços e, ao final, vamos ler a carta inteira.

De que forma a carta será escrita?

A pessoa que recebeu o papel n° 01 começa a escrever a carta. Em seguida, mostra apenas a última linha para a pessoa n° 02, que deverá continuar a carta a partir do que leu, e assim sucessivamente, até o último. Não é necessário escrever um parágrafo inteiro, pois o objectivo é cada participante continuar a carta a partir da última linha escrita pelo colega, independente de este ter terminado o parágrafo.

À medida que vão escrevendo, entregam o papel para o catequista colar numa folha, na devida ordem. Ao final, o catequista lê a carta para todos. Dependendo da criatividade do grupo, a carta pode ficar bem interessante.

Após a leitura da carta, o catequista deve refletir com o grupo: A carta que acabamos de escrever, fala claramente sobre a nossa Comunidade? Qualquer pessoa que ler, vai conseguir compreender tudo o que tentamos transmitir? O que é importante fazer para que as próximas gerações conheçam melhor a história da sua comunidade?

Atenção!

Se o grupo for grande, tu podes fazer uma variação da dinâmica. Divide o grupo em dois grupos. Um deve fazer a carta da forma como foi descrita acima. O outro escolhe um representante para escrever tudo o que os participantes falarem sobre a sua comunidade. Quando os grupos concluírem o trabalho, devem ler a sua carta para todos. Em seguida, o catequista faz a reflexão com o grupo, destacando a diferença entre as duas formas de apresentação.

Após a reflexão, o catequista inicia um diálogo sobre o Evangelho, comentando que a Bíblia foi escrita por pessoas inspiradas por Deus. Os Evangelhos surgiram em comunidades, assim como a nossa, onde os evangelistas, inspirados pelo Espírito Santo, decidiram deixar por escrito, todos os acontecimentos que marcaram a vinda de Jesus. É interessante destacar que, no lugar onde todos conhecem a sua realidade, cada um tem uma percepção diferente, um modo particular de contar a história.

Se todos tentarem escrever num único documento, talvez não consigam ser bem compreendidos, como no caso da carta escrita por várias pessoas. O Evangelista é, portanto, alguém inspirado por Deus, para reunir num documento todos os factos marcantes da vida de Jesus. Alguns escreveram com base em sua própria vivência, outros, porém, não tiveram a oportunidade de conviver com Jesus e basearam os seus escritos em relatos de pessoas que conviveram com Ele.

 

Peregrinação Paulo Gil Home

 

Teatro com os profetas da Bíblia

Também teremos espaço para trabalhar os profetas. Quais características? Qual era sua Missão? No primeiro final de semana, após explanação do tema, divida a turma em grupos e dê a cada grupo o nome de um profeta, eles poderiam explicar sobre a vida do profeta por meio de encenação. Cada grupo poderá trazer uma espécie de cartão ou lembrancinha para distribuir com a turma.

Jogo da memória!

Que tal desenvolver um jogo da memória com os livros da Bíblia?

Dividindo-os em Antigo testamento e Novo testamento, o catequista responsável pela turma, procura imprimir o nome de personagens bíblicos ou histórias Bíblicas e espalhando-as no chão inicia o jogo que não é só com a memorização de onde estava a história, mas finaliza com a pergunta: essa história está no antigo ou no novo testamento? Assim, será muito mais fácil interagir e aprender.

Contando a história!

Super dicas para vivenciar o mês da Bíblia na catequese infantil

Convide alguém diferente para esse momento, pode ser um pai ou mãe, o sacerdote ou um religioso. Isso já ajudará na concentração das crianças. O convidado traz uma história Bíblica para contar aos pequeninos. Para que seja um encontro interessante, o mesmo pode estar fantasiado, levar placas, brinquedos ou fantoches para envolver a todos. Além de divertido e cativante eles terão muito o que contar em casa, podendo assim evangelizar sua família.

Leia mais:
Mês da Bíblia 2020: conhecendo melhor o livro do Deuteronômio

Perguntas e respostas

A ideia é que após três finais de semana trabalhando a Bíblia, o catequista possa agrupar todo ensinamento aplicado e desenvolver um jogo de perguntas e respostas de tudo que fora trabalhado nos encontros anteriores. Será ótimo ver o quanto surtiu efeito esses encontros diferentes.

Ótimas dicas, não é mesmo? Agora é só colocá-las em prática e trabalhar o mês da Bíblia na catequese infantil com o verdadeiro espírito da vocação dos catequistas: levar a palavra de Deus a todos!

Por Redação Catequistas Brasil

Você também pode gostar

Deixe um comentário