Home CatequesesCatequese do Papa A missão do catequista: o Ministério Laical de Catequista

A missão do catequista: o Ministério Laical de Catequista

por Redação
A missão do catequista: o Ministério Laical de Catequista
Compartilhe:

Ao instituir o Ministério Laical de Catequista o Papa nos acolhe como catequistas, reconhecendo, ensinando, orientando e direcionando para o melhor caminho a ser trilhado pelos fiéis leigos que aceitam e exercem a missão evangelizadora enquanto catequistas

Foi publicado o motu proprio Antiquum Ministerium, que estabelece formalmente o Ministério Laical de Catequista. O Papa Francisco há muito já indicava sua preocupação com o reconhecimento do serviço que os catequistas prestam a Igreja. No ano de 2013, em discurso no Ano da Fé, o Pontífice expressava a ideia central desse ministério: “Ser catequista! Não trabalhar como catequista”, na mesma oportunidade em que reafirmou o catequista como vocação.

 

Catequese.online

 

Cinco anos mais tarde, em 2018, relembrando o discurso do Ano da Fé, já surgia o termo “ministério” na fala do Papa, ao afirmar que “a vossa vocação de ser catequistas assuma cada vez mais uma forma de serviço desempenhado na comunidade cristã e que exige ser reconhecido como um verdadeiro e genuíno ministério da Igreja, do qual temos particularmente necessidade”. Já em 2021, o Papa Francisco foi enfático ao pedir obediência ao Concílio: “Ou estás com a Igreja e por isso segues o Concílio, e se não seguires o Concílio ou o interpretares à tua maneira, como quiseres, não estás com a Igreja”.

Participação dos leigos na evangelização

E ao observarmos o Concílio Vaticano II, notamos especial atenção a participação dos leigos na missão evangelizadora da Igreja, no qual se estabeleceu que as funções dos leigos são “próprias e indispensáveis na missão da Igreja” e que “o apostolado dos leigos, que deriva da própria vocação cristã, jamais poderá faltar na Igreja”. Naquele momento, já se reconheciam o Ministério da Palavra e da Eucaristia como “especialmente confiado ao clero, no qual também os leigos têm grande papel a desempenhar”. O Decreto Apostolicam Actuositatem é o principal documento sobre o apostolado dos leigos.

Essa caminhada do Papa Francisco que se iniciou, ao menos em expressão, no ano de 2013, culminou no motu proprio, documento cuja forma representa um desejo próprio do Pontífice, claro que assessorado, mas que revela uma intenção pessoal para o bem da Igreja. O Antiquum Ministerium reafirma a importância da participação do catequista na Igreja, que pela iluminação divina que acompanha o Papa Francisco, certamente, revelará o melhor que há em cada um nós catequistas, no papel descrito por Francisco como aqueles que a “palavra será sempre um primeiro anúncio, que chega a tocar o coração e a mente de tantas pessoas que estão à espera de encontrar Cristo”.

Missão evangelizadora 

A atuação dos leigos na missão evangelizadora é descrita pelo Papa Francisco com citações das Cartas de São Paulo aos Coríntios e do Evangelho de São Lucas. Através de Paulo, relembra-se aqueles que foram chamados de “mestres” (1 Cor 12, 28-31). Na citação de Lucas (Lc 1, 3-4), o Pontífice destaca que “o evangelista parece bem ciente de estar a fornecer, com os seus escritos, uma forma específica de ensinamento que permite dar solidez e vigor a quantos já receberam o Batismo”.

O Concílio Ecuménico Vaticano II é fundamental para reafirmar a importância do compromisso do laicato na obra de evangelização. Em uma rica orientação, o Papa Francisco destaca os documentos que devem ser conhecidos pelos catequistas, sendo: “o Catecismo da Igreja Católica, a Exortação apostólica Catechesi tradendae, o Diretório Catequístico Geral, o Diretório Geral da Catequese, o recente Diretório da Catequese, juntamente com inúmeros Catecismos nacionais, regionais e diocesanos são expressão do valor central da obra catequética, que coloca em primeiro plano a instrução e a formação permanente dos crentes”. Ao final desse artigo, você encontra os links para esses documentos, diretamente no site da Santa Sé.

Ao instituir o Ministério Laical de Catequista o Papa nos acolhe como catequistas, reconhecendo, ensinando, orientando e direcionando para o melhor caminho a ser trilhado pelos fiéis leigos que aceitam e exercem a missão evangelizadora enquanto catequistas. O Pontífice pede que os catequistas sejam “homens e mulheres de fé profunda e maturidade humana, que tenham uma participação ativa na vida da comunidade cristã, sejam capazes de acolhimento, generosidade e vida de comunhão fraterna, recebam a devida formação bíblica, teológica, pastoral e pedagógica, para ser solícitos comunicadores da verdade da fé, e tenham já maturado uma prévia experiência de catequese”.

Adquira o documento na Pré-venda:

Motu Proprio Antiquum Ministerium – Carta Apostólica

Entusiasmo apostólico

O Papa nos pede que estejamos “disponíveis para exercer o ministério onde for necessário e animados por verdadeiro entusiasmo apostólico”, reafirmando sua preocupação com os que vivem nas periferias. Na mensagem do Ano da Fé, em 2013, o Pontífice destacou que “recomeçar de Cristo significa não ter medo de ir com Ele para as periferias”. Também no discurso no encontro promovido pelo Departamento Catequético Nacional o Papa Francisco reforçou a relação entre catequese e comunidade, destacando “o tempo para as comunidades missionárias, livres e abnegadas, que não procuram relevância nem vantagem, mas que percorrem os caminhos do povo do nosso tempo, inclinando-se sobre os que estão à margem”.

Que o Ministério Laical do Catequista recaia sobre nós, não como privilégio, mas como verdadeira lembrança do serviço que reflete a missão evangelizadora: “ide e fazei discípulos todos os povos, batizando-as em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo e ensinando-as a observar tudo o que vos ordenei” (Mt 28, 19-20). Acolhidos, orientados e inspirados pelo Papa Francisco, sejamos catequistas cada dia melhores. Que assim seja!

REFERÊNCIAS

BÍBLIA SAGRADA. Bíblia online. Editora Santuário.

CONCÍCLIO ECUM. VATICANO II. Decreto sobre o apostolado dos leigos, Apostolicam Actuositatem. Vaticano, 18 nov. 1965.

FRANCISCO. Discurso aos Catequistas vindos a Roma em peregrinação por ocasião do Ano da Fé e do Congresso Internacional de Catequese. Vaticano, 27 set. 2013.

FRANCISCO. Mensagem de vídeo aos participantes no Simpósio Internacional sobre “O Catequista, Testemunha do Mistério” promovido pelo Pontifício Conselho para a Nova Evangelização. 2018.

FRANCISCO. Discurso aos Participantes no Encontro Promovido pelo Departamento Catequético Nacional da Conferência Episcopal Italiana. Vaticano, 30 jan. 2021.

LINKS SANTA SÉ

CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA: http://www.vatican.va/archive/cathechism_po/index_new/prima-pagina-cic_po.html

EXORTAÇÃO APOSTÓLICA CATECHESI TRADENDAE: http://www.vatican.va/content/john-paul-ii/pt/apost_exhortations/documents/hf_jp-ii_exh_16101979_catechesi-tradendae.html

DIRETÓRIO GERAL PARA A CATEQUESE: http://www.vatican.va/roman_curia/congregations/cclergy/documents/rc_con_ccatheduc_doc_17041998_directory-for-catechesis_po.html

CARTA APOSTÓLICA ANTIQUUM MINISTERIUM: https://www.vatican.va/content/francesco/pt/motu_proprio/documents/papa-francesco-motu-proprio-20210510_antiquum-ministerium.html

Por Luís Gustavo Conde é Catequista atuante na evangelização de jovens e adultos; palestrante focado na doutrina cristã; advogado, tecnólogo e professor. Dúvidas e sugestões, fale comigo nas redes sociais: @luisguconde (Facebook, Twitter e Instagram).

Você também pode gostar

1 comentário

Vanderlucia Pereira da Silva 18 de maio de 2021 - 10:18

Sonho e trabalho de tanto tempo se tornando realidade para nós catequistas.

Resposta

Deixe um comentário